Um senador do estado norte-americano do Oregon anunciou na quinta-feira a demissão, depois de uma investigação ter comprovado que assediou várias mulheres no Capitólio com contacto físico inapropriado.

Em comunicado, o senador Jeff Kruse nega as acusações, mas diz que abandona o cargo para que os seus colegas possam concentrar-se em servir os cidadãos do Oregon sem distrações.

Um relatório divulgado na terça-feira documentou acusações de que o senador republicano assediou colegas do sexo feminino enquanto falava com elas em áreas públicas do Senado e que esse comportamento inadequado ocorria há anos.

Por causa das queixas, o presidente do Senado já tinha retirado a Kruse, natural de Roseburg, Oregon, as suas atribuições em comissões, no final do ano passado.

A senadora democrata Sara Gelser, da cidade universitária de Corvallis, apresentou uma queixa informal há dois anos, e Kruse foi avisado pelos advogados e recursos humanos parlamentares para não tocar em mulheres no Capitólio.

Como isso não o deteve, no outono passado Sara Gelser apresentou uma queixa formal contra Kruse, na sequência de uma onda de acusações de abuso sexual a homens poderosos, e o relatório divulgado esta semana documentou esses e outros abusos por parte do senador republicano.