O sem-abrigo que foi apelidado de herói no ataque a Manchester, a 22 de maio do ano passado, admitiu ter roubado as vítimas da explosão. Chris Parker, de 33 anos, assumiu-se culpado em tribunal, nesta quarta-feira.  

Após o ataque, o sem-abrigo afirmou aos jornalistas que tentou ajudar todas as vítimas tendo sido muito aplaudido pelos media e considerado um herói. Face à sua suposta atitude, foi lançada uma campanha de angariação de fundos, onde foram arrecadados mais de 55 mil euros.

O homem deveria ter ido a julgamento na terça-feira, mas não apareceu. Segundo informações do The Guardian, foi encontrado num apartamento em Halifax, em Inglaterra, e foi de imediato detido.

Isto porque as imagens das câmaras de vigilância permitiram ver que Parker não estava a ser um herói. Estava, sim, a cometer roubos, enquanto a polícia e os paramédicos acudiam as vítimas do ataque.

Às autoridades, Parker admitiu duas acusações de roubo, da mala de uma mulher que estava gravemente ferida no local e de um telemóvel de uma jovem, afetada também pelo ataque.

Nas sessões de tribunal anteriores, o sem-abrigo tinha negado sempre as acusações de que foi alvo. Nesta quarta-feira, finalmente admitiu os crimes. No total, foram oito acusações, mas cinco ofensas foram negadas. A acusação decidiu aceitar.

Chris Parker tem um extenso registo criminal, tendo já sido condenado por roubo em 2000.

O falso herói vai a julgamento no dia 30 de janeiro. Quanto ao dinheiro angariado, Michael Johns, autor da iniciativa, disse ao The Guardian que o homem ainda não tinha recebido o dinheiro. As pessoas que contribuíram deverão agora ser reembolsadas.