Miguel Blázquez Palacios amputou uma mão, num “plano maquiavélico” para conseguir uma indemnização milionária das seguradoras. A conclusão é de um juiz de Castellón que, em janeiro, condenou este cidadão espanhol a quatro anos de prisão.

O El Mundo conta esta quarta-feira a história deste antigo agricultor, agora desempregado, que vive com a mulher e os três filhos em casa dos pais.

O tribunal entendeu que Miguel Palacios amputou voluntariamente a mão, sozinho ou com a ajuda de terceiros, e simulou o acidente de viação que lhe teria tirado a mão direita.

O acidente não levantou suspeitas aos meios de socorro e polícia que acudiram ao local, mas, as seguradoras não ficaram muito convencidas com a veracidade do acidente. Afinal, Miguel Palacios tinha feito onze apólices de seguro no período de um ano. O último contrato tinha sido assinado um mês antes do acidente.

Contas feitas, o espanhol acabou por ser indemnizado em 334 mil euros, mas, as seguradoras não cruzaram os braços e contrataram uma firma de detetives privados que trouxe ao de cima novos factos, dados como provados em sede de julgamento. Miguel Palacios teria dívidas avultadas que o levaram a orquestrar um plano daqueles. 

Mas, com o acidente, Miguel Palacios perdeu mais do que a mão, segundo o psiquiatra. O homem de 43 anos sofre de depressão e tem alucinações. Miguel Palacios quer ir para o “exército”, para “ir matar”.

A mulher resume o sentença numa palavra: “uma injustiça”, mas não se alonga em comentários. 

Para além da pena de prisão efetiva a que foi condenado, Miguel Blázquez Palacios tem também de ressarcir as seguradoras.