O novo diretor nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), juiz desembargador António Carlos de Beça Pereira, disse hoje que, em Portugal, foram dados os passos «necessários e adequados» após os atentados de quarta-feira, em Paris.

«Foram dados os alertas necessários e adequados face ao que é conhecido neste momento», disse aos jornalistas o diretor nacional do SEF, que hoje tomou posse no Ministério da Administração Interna, quando questionado sobre o reforço nas fronteiras portuguesas.

António Pereira adiantou que, face ao que se está a passar em França, são adotadas «medidas concretas», mas «convém não as revelar, porque a segurança também pressupõe algum sigilo».

O juiz desembargador António Pereira tomou hoje posse, mas foi nomeado pela ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, a 18 de dezembro do ano passado, substituindo Manuel Jarmela Palos, que apresentou a demissão depois de ter sido detido no âmbito do caso dos vistos gold.

O novo diretor nacional do SEF disse aos jornalistas que, quando chegou a este serviço de segurança, os encontrou «a funcionar com toda a normalidade e [a] dar as garantias necessárias [de] que cumpre a sua missão».

«Há que reconhecer que não é uma situação normal», realçou, numa alusão ao facto de ter substituído um diretor que foi detido.

António Pereira disse ainda que agora não vai fazer qualquer alteração no SEF, mas não descarta essa hipótese para o futuro.