A República Democrática do Congo está a enfrentar uma nova epidemia de ébola e já morreram 18 pessoas com os sintomas de estarem infetadas, mas apenas uma delas está confirmada que tinha mesmo o vírus.

O nosso país está a enfrentar outra epidemia do vírus ébola, que representa uma emergência de saúde pública internacional. Vamos mobilizar os nossos recursos humanos bem preparados que conseguiram controlar rapidamente anteriores epidemias", declarou em comunicado o Ministério da Saúde da República Democrática do Congo.

Entre 4 de abril e 9 de maio registaram-se 32 casos suspeitos de febre hemorrágica e, desses, 18 doentes acabaram por morrer, na zona da cidade de Bikoro, no noroeste do país. 

Neste momento estão já confirmados quatro casos de ébola, afirmou Serge Ngalebato, o médico que dirige o hospital geral de Bikoro.

Quatro pessoas foram contaminadas pelo vírus do ébola. Entre elas, há dois membros da equipa médica que estavam em contacto com os doentes."

Dos testes realizados em laboratório concluiu-se que há 11 pessoas com febre hemorrágica e uma delas morreu mesmo devido ao vírus do ébola.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e a organização Médicos Sem Fronteiras já enviaram médicos para o local. A OMS considera “elevado” o risco de propagação da epidemia de Ébola na República Democrática do Congo (RDC) e prepara-se para o “pior dos cenários”.

“Estamos muito preocupados e estamos a preparar-nos para todos os cenários, incluindo o pior dos cenários”, declarou o diretor do programa de gestão de situações de emergência da OMS, Peter Salama, durante uma conferência de imprensa em Genebra.

Desde 1976, este é o nono surto de Ébola no país, sendo que o último foi em 2017, entre maio e julho, e matou quatro pessoas.

O pior surto da doença registado até à data foi a que atingiu o Congo, Guiné, Libéria e Serra Leoa entre 2013 e 2016, que infetou 29 mil pessoas e deixou mais de 11.300 mortos. Este surto chegou mesmo à Europa com dois missionários espanhóis a transmitirem a doença a uma enfermeira espanhola que os tratou.

O ébola é um vírus extremamente perigoso e contagioso que provoca febre hemorrágica. Em média, cerca de 50% das pessoas que adoecem com o Ebola morrem.