Um estudo de um instituto brasileiro determinou que mais de um quarto (25,8%) das armas apreendidas, entre 2011 e 2012, no estado de São Paulo, eram falsas ou brinquedos, noticiou hoje a Agência Brasil.

Ao todo, o estudo «De onde vêm as armas do crime» analisou 14,8 mil armas apreendidas pela polícia.

«Como é mais difícil obter armas de fogo, começa a surgir uma maior percentagem de armas de brincar», disse a diretora do instituto «Sou da Paz», Luciana Guimarães.

Segundo a diretora o aumento do uso de armas falsas está ligado aos avanços do Estatuto do Desarmamento, que está perto de completar dez anos.

No entanto, Luciana Guimarães alerta para o problema do crescimento das armas artesanais, e para o perigo de estas poderem estar a começar a ser produzidas em grande escala, para compensar a falta de acesso aos modelos «reais».

17% das armas recolhidas eram de fabrico artesanal, «isso revela uma nova prática extremamente preocupante entre os criminosos de São Paulo: com a dificuldade de abastecimento deste tipo de arma, estão a ser organizadas produções próprias, inclusive com indícios de produção em escala», disse a diretora à agência Brasil.

Luciana Guimarães acredita que a lei que proibiu o porte de armas a civis está certamente ligada à redução de 70% dos homicídios em São Paulo nos últimos 10 anos.