As autoridades norte-americanas identificaram um homem e uma mulher, mortos durante uma troca de tiros com a polícia e suspeitos de serem autores do tiroteio que matou 14 pessoas na Califórnia, nos Estados Unidos, e deixou outras 17 feridas durante uma festa de Natal num centro de apoio a deficientes, o Inland Regional Center, em San Bernardino, a cerca de 100 quilómetros de Los Angeles.

A brigada de minas e armadilhas esteve a passar o edifício a pente fino, devido à presença de vários pacotes suspeitos e terá descoberto, pelo menos, um engenho explosivo.

O chefe da polícia de San Bernardino, Jarrod Burguan, afirmou que as autoridades já não acreditam que um terceiro suspeito esteja a monte: “Estamos bastantes confiantes que os dois atacantes que entraram no edifício são os dois que foram abatidos na San Bernardino Avenue”, afirmou. Os dois fugiram num carro preto intercetado pela polícia.

“O primeiro é Syed, Rizwan, de apelido Farook. Tem 28 anos. Disseram-me que nasceu nos Estados Unidos”, acrescentou o chefe da polícia. "A pessoa que estava com ele é uma mulher, chama-se Tashfeen, de apelido Malik" e tem 27 anos. Aparentemente, eram um casal e deixaram uma filha de seis meses órfã, segundo o New York Times.

Os nomes árabes levantaram suspeitas e o FBI tem estado no terreno a apurar eventuais ligações do casal a extremistas islâmicos, para além de buscas domiciliárias, mas as autoridades são cautelosas quanto a avançar com as razões que estiveram por detrás deste tiroteio. O FBI não descarta a hipótese deste ter sido “um ataque terrorista”.

No entanto, o homem trabalharia naquele centro há já cinco anos e “até estava na festa, mas saiu irritado com qualquer coisa”, explicou o chefe da polícia segundo a Sky US. Terá voltado depois, para perpetrar o tiroteio que durou alguns minutos e tirou a vida a mais de uma dezena de pessoas.

Um polícia ficou ferido na troca de tiros com os suspeitos. Está internado, mas não corre perigo de vida.

O New York Times adianta que desde janeiro já ocorreram 354 tiroteios nos Estados Unidos. Já contando com as vítimas do tiroteio de San Bernardino, este ano já morreram 462 pessoas e 1314 ficaram feridas. Em média, os tiroteios deixaram quatro pessoas mortas ou feridas.