Um vídeo divulgado na Internet, que mostra um rapaz de 13 anos a ser linchado até à morte, está a chocar o mundo. Centenas de pessoas saíram às ruas, no Bangladesh, para pedir justiça e exigir a prisão dos assassinos.

De acordo com a CNN, o vídeo mostra a vítima atada a um poste e a ser espancada com um bastão, enquanto os atacantes se riem. Nas imagens, filmadas na cidade de Sylhet, Samiul Alam Rajon implora por misericórdia e pede, pelo menos, um copo de água, sendo ignorado pelos agressores.

Segundo a BBC, depois de matarem o rapaz, os atacantes depositaram o corpo numa lixeira isolada, a 180 metros do local onde o tinham torturado.

A autópsia revelou que o jovem morreu devido a graves lesões intracranianas e ferimentos no corpo. As autoridades médicas afirmaram que o cadáver tinha mais de 60 marcas visíveis.

O ataque surgiu depois de o rapaz ter sido acusado pelos atacantes de tentar roubar um riquexó.

O vídeo, filmado por um dos agressores, tornou-se viral e espoletou raiva dn população, que invadiu as ruas da cidade onde o ataque teve lugar para pedir a punição dos culpados. Os manifestantes afirmaram que este não foi um acontecimento isolado e que o incidente mostra as falhas do sistema judicial do Bangladesh.

Numa entrevista à CNN, Sheikh Azizur Rahman, o pai de Samiul afirmou “querer justiça” e contou que o filho tinha começado a vender legumes na rua para ajudar a família, uma vez que Sheikh tem uma doença cardíaca. Para além disso, o rapaz tinha dificuldades em aprender e em falar e grande parte dos rendimentos eram gastos na sua educação.

“Eu mandei-o trabalhar porque não tinha dinheiro suficiente para pagar os seus estudos.”


Agora, Sheikh diz temer pela sua vida porque “os assassinos são poderosos". "Eles podem fazer tudo… Tenho receio pela minha vida”.

Três suspeitos foram detidos, incluindo o principal agressor, que tinha fugido para a Arábia Saudita depois do ataque.

O Ministro da Política Interna, Asaduzzaman Khan, classificou o caso como “realmente infeliz” e afirmou que “nenhum dos agressores vai ser poupado” pelo ataque.

Samiul é agora mais um número nas estatísticas. Segundo o relatório de uma organização de direitos humanos, a Odhikar, sediada no Bangladesh, só no ano passado pelo menos 903 pessoas foram linchadas nas ruas do país. 60 foram espancadas até à morte.