As autoridades francesas ordenaram uma nova retirada em massa do mercado de leite infantil e outros produtos do grupo Lactalis por risco de contaminação salmonela. Desta vez, são retirados 720 lotes, depois de há duas semanas terem sido retirados 625 lotes.

Adotámos a decisão de ampliar a retirada do mercado ao conjunto de produtos infantis e nutricionais produzidos ou embalados na nossa fábrica de Craon (oeste da França) desde 15 de fevereiro de 2017”, afirma em comunicado a empresa que é líder mundial de produtos lácteos.

De acordo com o mesmo comunicado, os produtos são retirados tanto no mercado francês como no internacional.

“A retirada envolve os produtos das marcas Picot (leite em pó e cereais infantis), Milumel (leite em pó e cereais infantis) e Taranis (mistura de aminoácidos em pó destinados ao tratamento de patologias)”, explica a Lactalis.

“Sabemos agora que uma contaminação afetou a nossa fábrica de Craon após obras realizadas durante o primeiro semestre de 2017”, diz ainda a empresa.

O pai de uma menina de três meses que consumiu o leite contaminado e uma associação de consumidores anunciaram, na segunda-feira, que apresentaram uma queixa contra a Lactalis.

Esta é a segunda vez no espaço de duas semanas, que a Lactalis procede a uma recolha preventiva de produtos infantis. No dia 10 de dezembro, o governo francês anunciou uma retirada em massa do leite infantil daquele grupo, vendido no país e no exterior, na sequência de 26 casos de salmonela em bebés com menos de seis meses.

Naquela altura, a direção de comunicação do grupo Lactalis disse à agência Lusa que Portugal não estava na lista dos países em que foram comercializados pacotes de leite infantil em pó suspeitos de contaminação com a bactéria salmonela.