Se for eleito, Donald Trump vai aumentar os impostos aos mais ricos, afirmou este domingo o presumível nomeado dos Republicanos às presidenciais norte-americanas de 8 de novembro.

Numa entrevista ao programa da NBC “Meet the Press”, Trump ressalvou que os seus planos económicos terão sempre de ser discutidos com o Congresso, caso seja eleito Presidente.

Donald Trump adiantou que o seu plano fiscal inclui a redução de impostos para a classe média e para as empresas, e o aumento para os mais ricos, mas que este será uma “plataforma” que poderá sofrer alterações durante as negociações com o Congresso. Mas “quando chegar a altura de negociar, estou menos preocupado com os ricos do que com a classe média”.

“Para os mais ricos, acho francamente que vão subir e, sabe que mais, deviam mesmo subir”, disse.

O magnata do imobiliário, que é agora o único pré-candidato Republicano à Casa Branca, disse ainda na entrevista que é favorável ao aumento do salário mínimo: “Não sei como é possível viver com 7,25 dólares [6,36 euros] por hora”. Mas a questão terá de ser decidida por cada um dos estados, acrescentou.

Esta posição de Donald Trump representa uma viragem no discurso do multimilionário, que em Novembro de 2015 defendia que os salários nos Estados Unidos eram “demasiado elevados”.

Na altura, ndebate com os restantes candidatos republicanos, Trump defendeu que o salário mínimo, há sete anos congelado nos 6,36 euros por hora, era “alto demais” e que o seu aumento atrasava a competitividade do país.

Confrontado com essas declarações, Donald Trump sublinhou agora que está “autorizado a mudar de opinião” porque “é preciso ser flexível”.