O único terrorista vivo dos atentados de 13 de novembro em Paris, Salah Abdeslam, e que continua em fuga, foi localizado dois dias depois dos ataques, mas escapou à polícia porque a lei belga não permite detenções entre as 21:00 e 5:00.

Segundo avança o Het Laatse Nieuws, a informação foi confirmada pelo ministro da Justiça belga, Koen Geen, numa entrevista ao VTM, que será emitida esta noite.

A polícia belga acredita que Salah Abdeslam estava numa casa já considerada “suspeita”, no bairro de Molenbeek, em Bruxelas, na madrugada de domingo (15) para segunda-feira (16), mas como não havia uma certeza absoluta, não atuou imediatamente. As autoridades só entraram na habitação depois do meio-dia de segunda-feira, depois de emitida ordem judicial. Nesta altura, Salah já tinha desaparecido.

O código penal da Bélgica proíbe quaisquer detenções ou rusgas durante o horário noturno, deixando apenas margem para exceção nos casos de flagrante delito ou de incêndio. Uma ameaça terrorista não figura, ainda, na lista de exceções, porém, o Governo belga já manifestou intenção de alterar a lei atual.

Esta foi, pelo menos, a segunda vez que Salah escapou às mãos da polícia. Logo na manhã após os atentados, pelas 9:00, o terrorista recebeu ordem da polícia para seguir viagem na fronteira da França com a Bélgica, com dois outros homens, porque as autoridades ainda não o tinham identificado como suspeito.

Os dois homens que seguiam no carro acabaram detidos no mesmo dia (sábado), porém Salah já não estava com eles.