A polícia belga encontrou impressões digitais de Salah Abdeslam no apartamento de Bruxelas, que foi alvo de buscas na terça-feira, e que resultou na morte de um alegado terrorista, confirmou a Procuradoria Federal da Bélgica, nesta sexta-feira

O principal suspeito dos atentados de Paris que está em fuga desde novembro, e que se suspeitava que tivesse conseguido fugir para a Síria, estaria naquela casa na comuna de Forest, em Bruxelas, quando teve lugar a operação policial belga em conjunto com as autoridades francesas.

A Procuradoria da Bélgica não divulgou mais informações sobre a operação em Forest para não prejudicar a investigação.

Recorde-se que um homem foi morto neste apartamento durante as buscas e, ao que tudo indica, outros dois terão conseguido escapar. Quatro polícias ficaram ainda feridos.

A vítima mortal, alvejada por um sniper, foi identificada como sendo Mohamed Belkaid, um argelino que usava o nome falso de Samir Bouzid e que participou nos atentados de Paris, a 13 de novembro, segundo a televisão belga RTBF.

De acordo com a estação pública, "Samir Bouzid" era procurado pelas autoridades desde 4 de dezembro, depois de a investigação ter encontrado uma ligação de Bouzid a Paris, concretamente uma transferência bancária de 750 euros, quatro dias depois dos atentados, para Hasna Ait Boulahcen, a prima de Abdelhamid Abaaoud, mentor dos ataques. Os dois morreram durante uma operação policial em Saint-Denis na capital francesa.

As impressões digitais de Salah Abdeslam também foram encontradas a 10 de dezembro num outro apartamento, em Schaerbeek, também na região de Bruxelas.