O Papa Francisco decidiu que um sacerdote argentino, condenado a uma pena de prisão por pedofilia, não poderá exercer mais as suas funções.

A decisão refere-se a José Mercau, condenado a 14 anos de prisão por ter abusado de quatro menores quando era padre em San Juan Bautista, na periferia de Buenos Aires.

A diocese de San Isidro anunciou num comunicado que «o Santo Padre decretou a demissão do presbítero José Mercau do estado clerical».

«Com este decreto, [José Mercau] perdeu automaticamente os direitos do estado clerical, ficando privado de todo o exercício do ministério sacerdotal», pode ler-se na nota, citada pela Lusa e assinada pelo porta-voz da diocese, Máximo Jurcnovic.

José Mercau, que chefiava uma casa que albergava crianças de rua, foi acusado de pedofilia em 2005 e declarou-se culpado.