Sabrina de Sousa, antiga agente da CIA, detida em Portugal no início do mês de outubro, solicitou um perdão da justiça italiana. Sabrina de Sousa está entre os 26 americanos condenados à revelia pelo sequestro de um clérigo egípcio em Milão em 2003.
 
A ex-operacional da CIA foi detida em Portugal, à luz de um mandado internacional de captura, quando se preparava para embarcar num voo rumo a Goa, onde deveria visitar um familiar.

De acordo com o advogado que a representa em Itália, Dario Bolognesi, citado pela Associated Press, a mulher solicitou um perdão no ano passado perante a justiça italiana, numa altura em que o país mudou de chefe de Estado.
 
Sabrina de Sousa enfrenta uma pena de seis anos de cadeia pela participação no rapto de Osama Moustafa Hassan Nasr, um suspeito de terrorismo que, na altura, estava sob vigilância das autoridades italianas.
 
Sabrina de Sousa nasceu em Itália e tem nacionalidade norte-americana e portuguesa. Depois de detida, disse a um tribunal em Lisboa que tem vivido em Portugal e tinha intenções de cá permanecer. Quando foi detida, no aeroporto de Lisboa, tinha um bilhete de ida e volta para Goa, onde deveria visitar a mãe doente.