A organização ambientalista Greenpeace denunciou hoje que perdeu contacto com o seu navio que estava a protestar contra a exploração de petróleo no Ártico, após agentes russos armados terem tomado a embarcação.

A Greenpeace disse acreditar que o seu navio Arctic Sunrise, com bandeira holandesa, estava em águas internacionais quando as forças russas assumiram o controlo do mesmo.

No dia anterior, os ativistas tinham tentado escalar uma plataforma de petróleo detida pela empresa russa Gazprom e os russos prenderam dois membros da organização.

«Pessoas armadas com metralhadoras entraram no navio quebra-gelo Arctic Sunrise, da Greenpeace, a partir de um helicóptero, através de cordas», refere a Greenpeace num comunicado citado pela agência noticiosa AFP.

Na página da rede social Twitter, os ativistas escreveram que os homens da guarda costeira russa entraram no navio com armas.

A Greenpeace enviou o Arctic Sunrise para o mar de Petchora, no Ártico russo, para protestar contra projetos de exploração petrolífera do gigante russo Gazprom na região.