Vladimir Putin está pronto para dialogar com François Hollande e Angela Merkel sobre a crise na Ucrânia. O anúncio foi feito pelo assessor presidencial, Yuri Ushakov, esta quinta-feira.

O porta-voz do Kremlin considerou a iniciativa um «passo positivo» e afirmou que espera que Merkel e Hollande tenham em conta as medidas anteriormente propostas pelo presidente russo no plano que vão apresentar no encontro em Moscovo. 

«Amanhã [sexta-feira] estamos prontos para dialogar de uma forma construtiva e contamos chegar a alguns entendimentos que possam contribuir para a estabilização da situação e o estabelecimento de contatos diretos entre os oficiais de Kiev e os de Donbass.»


Ushakov esclareceu ainda que foi o recente surto de violência no leste da Ucrânia a motivar a necessidade deste encontro em Moscovo.

O assessor de Putin também revelou que o presidente russo já falou com o novo primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, e que o convidou a visitar a Rússia.

O executivo russo aproveitou ainda para deixar um recado a Washington, lamentando que o secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, tenha decidido visitar a Ucrânia, mas não a Rússia.

A visita do chefe de governo francês e da chanceler alemã a Moscovo foi anunciada esta quinta-feira pelo próprio presidente da França e confirmada pelo porta-voz do executivo alemão. Hollande informou ainda que os dois líderes também vão visitar Kiev e que  o objetivo destes encontros é apresentar uma proposta de paz que visa solucionar a crise no leste ucraniano.