O governo ucraniano avisou os separatistas pró-russos que têm até às seis da manhã desta segunda-feira (hora local) para baixarem as armas e deixarem os edifícios ocupados no leste do país.

Operação antiterrorista na Ucrânia

Segundo a agência Reuters, o presidente interino da Ucrânia, Oleksander Turchinov, ordenou uma «operação antiterrorista de larga escala», envolvendo o exército, contra os separatistas.

O ministro dos negócios estrangeiros russo já condenou a mobilização do exército ucraniano para acalmar a rebelião dos separatistas e apelou à intervenção do ocidente.

Sergey Lavrov afirmou, este domingo, que se trata de uma «ordem criminosa», e alertou os aliados ocidentais da Ucrânia para que tomem medidas contra o país.

«É responsabilidade do ocidente impedir uma guerra civil na Ucrânia», disse o ministro.

Lavrov afirmou, ainda, que a Rússia vai colocar uma discussão urgente, da situação no leste da Ucrânia, na agenda do conselho de segurança das Nações Unidas.

Reunião de urgência do conselho de segurança da ONU esta noite

O conselho de segurança da ONU vai reunir-se de urgência este domingo às 20:00 locais (01:00 de segunda-feira em Lisboa), à porta fechada, para analisar a situação no leste da Ucrânia, anunciaram as Nações Unidas.

Estas «consultas informais» foram pedidas ainda hoje pela Rússia.

Moscovo advertiu às autoridades pró-europeias de Kiev para pararem «a guerra contra o próprio povo», depois de o governo ucraniano ter desencadeado «uma operação antiterrorista» contra os rebeldes armados pró-russos.