Três civis e oito soldados morreram em confrontos no este da Ucrânia nas últimas 24 horas, de acordo com fontes do Governo e das forças rebeldes, um dia depois das negociações de paz para pôr fim ao conflito.

Segundo as autoridades separatistas, bombardeamentos mataram três civis e feriram outros cinco em Lugansk, enquanto o exército ucraniano diz que oito soldados morreram e outros 34 ficaram feridos na zona de conflito.

Esta sexta-feira, o porta-voz do Presidente russo, Vladimir Putin, disse que a Rússia queria um cessar-fogo imediato com a Ucrânia e que o prazo de domingo de manhã foi acordado em Minsk por pressão dos líderes rebeldes. 

Horas depois do acordo ter sido anunciado, um porta-voz militar de Kiev revelava que, durante a noite, cerca de 50 tanques, 40 sistemas de mísseis e 40 veículos blindados cruzaram, durante a noite, a fronteira da Rússia para o Leste da Ucrânia.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou esta quinta-feira que o acordo sobre a Ucrânia foi aprovado pelos líderes em Minsk. Putin declarou ainda cessar-fogo a partir da meia-noite de domingo, dia 15 de fevereiro, (21:00 de sábado em Lisboa), e que aceitou retirar a artilharia pesada.