O canal de televisão TV RT, financiado pelo estado russo, mandou «calar» um jornalista norte-americano, por este criticar a legislação anti-gay russa. James Kirchick, tinha sido convidado a comentar o caso do soldado Manning, mas aproveitou o tempo para abordar a questão dos direitos dos homossexuais, escreve a AFP.

Em solidariedade com todos gays russo, usou suspensórios com as cores do arco-íris e criticou «o ambiente homofóbico» que a Rússia está a viver. Fez duras críticas a Putin e aos próprios jornalistas questionando como «conseguiam dormir à noite».

O debate sobre Manning, envolvia vários convidados, ligados ao canal por russo por satélite. Por várias vezes, a pivot russa tentou «calar» Kirchick, mas nem sempre o conseguiu. A dada altura, segundo a AFP, o norte-americano terá sido retirado do ar. «Da próxima vez, vamos convidá-lo para discutir os direitos dos homossexuais. Mas, por enquanto, adeus», terá dito a pivot.

O canal russo TV RT, todo falado em inglês, tem sido criticado a nível internacional, por não abordar temas que possam ser «sensíveis» para o Kremlin como, por exemplo, a Síria. No entanto, o canal justifica que apenas dá uma visão diferente, para um público cansado dos media ocidentais.