Os bombardeamentos aéreos da Rússia na Síria ao longo dos últimos três meses fizeram 2.371 mortos, perto de um terço dos quais civis, informou a organização não-governamental Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Os ataques mataram 655 membros do grupo extremista Estado Islâmico e 924 membros de outros grupos que combatem o regime, incluindo a Frente al-Nosra, o ramo sírio da Al-Qaida, precisou.

O Observatório, que recolhe informações junto de uma rede de militantes e profissionais de saúde no terreno na Síria, contabilizou 792 vítimas civis, entre as quais 180 menores e 116 mulheres.