O piloto russo que sobreviveu ao abate do avião onde seguia, por parte das autoridades da Turquia, por alegadamente ter violado o espaço aéreo turco, nega a versão apresentada por Ancara, e diz que o seu avião nunca ultrapassou, nem por “um segundo”, os limites da fronteira, avançou a Associated Press.

O capitão Konstantin Murakhtin, resgatado esta madrugada pelo exército sírio, negou, numa entrevista transmitida pela televisão russa, igualmente, que os dois militares tenham recebido qualquer aviso para se afastarem da fronteira turca.

Esta versão vai de encontro com as declarações de hoje do ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov, que disse acreditar que se tratou de um “ato planeado”.

O incidente está a causar  tensão entre os dois países, com a Rússia a garantir que as relações entre as duas nações podem ser seriamente afetadas.

Sergei Lavrov já falou com o ministro dos Negócios Estrangeiros da Turquia por telefone e, segundo a Interfax, recusou os vários convites que lhe foram feitos para um encontro entre os dois. Por sua vez, fonte oficial da Turquia disse à Reuters que os dois ministros talvez se encontrem na próxima reunião da OSCE em Belgrado, na Sérvia, que decorre entre 3 e 4 de dezembro. 

Apesar deste incidente, a Rússia promete prosseguir com os ataques aéreos na Síria, junto à fronteira com a Turquia.