Jornalista russo que foi dado como morto pelas autoridades ucranianas afinal está vivo e bem de saúde.

Arkady Babchenko, um crítico de Putin contundente das políticas do Kremlin, condenando a anexação da Crimeia por separatistas pró-russos apoiados por Moscovo e a campanha russa na Síria, surgiu numa conferência de imprensa, na qual foi explicado que a encenação do homicídio se tratou de uma operação de segurança para tentar capturar os agentes russos que o queriam matar.

O chefe dos serviços de segurança da Ucrânia, Vasyl Hrytsak, revelou a operação na conferência de imprensa:

De acordo com informações recebidas pelo serviço de segurança ucraniano, o assassinato do jornalista russo Arkady Babchenko foi ordenado pelos próprios serviços de segurança russos", disse Hrytsak.

O jornalista pediu ainda desculpa à mulher pelo susto, já que foi ela que o encontrou e chamou bombeiros e polícia, e não sabia de nada.

A polícia ucraniana tinha anunciado que Babchenko foi baleado nas costas

A primeira e mais óbvia versão (da causa do assassínio) é a das suas atividades profissionais”, afirmou logo o chefe da polícia de Kiev, Andriy Krishchenko.

O suposto homicídio já tinha despoletado uma troca de argumentos entre Ucrânia e Rússia.

Logo após o homicídio de Babchenko, os dirigentes ucranianos responsabilizaram a Rússia. Anton Gerashchenko, um deputado ucraniano que foi conselheiro do Ministério do Interior, afirmou no Facebook que os investigadores devem olhar para “os esforços das agências de espionagem russas para se livrarem dos que procuram dizer a verdade sobre o que se passa na Rússia e na Ucrânia”.

Gerashchenko adiantou que o assassino de Babchenko estava à espera dele nas escadas dentro do edifício onde o jornalista morava e que o alvejou nas costas, quando ele saía para comprar pão.

Depois, foi o primeiro-ministro ucraniano Volodymyr Groysman a acusar a Rússia de estar por detrás da morte de Babchenko.

Estou convencido de que a máquina totalitária russa não lhe perdoou a sua honestidade e posições de princípio", escreveu Groysman na sua conta oficial no Facebook.

Os russos responderam considerando "triste" a culpabilização pelo homicídio.

O chefe da diplomacia russa, Sergei Lavrov, manifestou-se “muito triste” por ver a Ucrânia a culpar Moscovo pelo assassinato do jornalista e escritor russo Arkadi Babchenko, que estava refugiado em Kiev.

Arkady Babchenko foi morto, abatido na escadaria do edifico do seu apartamento e o primeiro-ministro ucraniano diz que os serviços especiais russos são responsáveis (...) É muito triste", disse Lavrov em conferência de imprensa.