O embaixador português na Federação da Rússia, Mário Godinho de Matos, entregou hoje numa cerimónia realizada no Kremlin as credenciais ao Presidente russo, Vladimir Putin, que afirmou ao diplomata português esperar relações bilaterais mais dinâmicas.

Além do representante diplomático português, mais dezanove embaixadores, entre os quais estava também Mário Saraiva Ngwenya, enviado de Moçambique, entregaram também credenciais.

A cerimónia decorreu na Sala de São Alexandre do Kremlin, uma das mais imponentes do principal palácio de Moscovo e da Rússia.

Bem depois da hora anunciada pelo protocolo russo, dois soldados abriram as pesadas portas douradas e na sala entrou Vladimir Putin, acompanhado por Serguei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia.

Depois de receber os envelopes com as credenciais das mãos dos vinte embaixadores, Putin usou da palavra para declarar: «espero que a vossa nomeação contribua para o aumento da cooperação económica e política entre os vossos países».

«A situação no mundo é complicada, mas a Rússia continua a ser adepta das conversações na solução dos mais difíceis problemas. Esta abordagem deu resultado na Síria», continuou.

Segundo Putin, «a preparação da Conferência Internacional sobre a Síria Genebra-2 é um êxito nosso e vosso. Os problemas internacionais devem ser resolvidos na base da Carta da ONU».

Dirigindo-se ao embaixador português, o dirigente russo declarou esperar «um desenvolvimento mais dinâmico das relações bilaterais», frisando que «pretendemos incrementar os laços no campo da economia e do turismo».

Ao embaixador moçambicano Putin disse que o seu país pretende aprofundar as relações bilaterais com Maputo, frisando que «as empresas russas estão prontas a trabalhar na exploração dos recursos naturais de Moçambique».