logotipo tvi24

Oposição russa manifesta-se na Praça Vermelha

Ativistas surpreendidos pelo facto da polícia não ter reprimido o protesto

Por: tvi24    |   2012-04-08 19:50

Centenas de pessoas manifestaram-se este domingo na Praça Vermelha, em Moscovo, perto do Kremlin, contra o governo russo. Ao contrário de outras situações, a polícia deixou que o protesto se realizasse, apesar de terem sido detidas três pessoas tentarem montarem uma tenda no local.

A emblemática Praça Vermelha foi até agora vedada a manifestações por parte das autoridades russas. Qualquer tentativa de desafio foi sempre tratada com dureza. Na semana passada, dezenas de ativistas foram detidos, quando tentaram realizar um protesto de silêncio contra Vladimir Putin.

«Sinto que vim para outro planeta, não entendo o que está acontecer. Isto é o Kremlin», disse o ativista Vitaly Zalomov à agência Reuters, surpreendido pela atitude das autoridades este domingo. «Onde está a polícia?», questionou.

Os manifestantes exigem uma repetição das eleições parlamentares de 4 de dezembro, que deram vitória a Putin, que ocupa o poder há já 12 anos, entre a presidência e a chefia do governo.

A manifestação deste domingo foi organizada através das redes sociais e não foi previamente aprovada pelas autoridades, o que tornou ainda mais surpreendente a atitude de passividade da polícia.

O único incidente aconteceu com três ativistas ambientais que foram detidos, depois de tentaram montar uma tenda no local.

Partilhar
FOTOGALERIA:
Protesto na Praça Vermelha em Moscovo

Protesto na Praça Vermelha em Moscovo (Maxim Shemetov/Reuters) EM CIMA: Protesto na Praça Vermelha em Moscovo (Maxim Shemetov/Reuters)

Bebé morre fechado dentro de carro
O pai da criança esqueceu-se de deixar a criança com a ama antes de trocar de carro
Guarda ferido em assalto a embaixada portuguesa em Tripoli
Quatro homens armados entraram na representação diplomática cerca das duas da manhã
Rapaz de 14 anos acusado de violar menina
Apesar da idade, o jovem terá de responder em tribunal
EM MANCHETE
Sobrevivente português descreve tragédia
«Atirámo-nos à água e depois vimos que faltavam três homens», conta pescador
Homem que baleou quatro mulheres tem mais alvos
Guarda ferido em assalto a embaixada portuguesa em Tripoli