Ruben Espinosa, fotojornalista mexicano, foi encontrado morto num bairro da Cidade do México.

Com o cadáver do fotógrafo foram encontrados os corpos de quatro mulheres, às primeiras horas de sábado, de acordo com a Associated Press.

O procurador da Cidade do México confirmou a morte de Espinosa no domingo, o que originou uma manifestação em defesa da liberdade de expressão e pelos direitos dos jornalistas. Ativistas, jornalistas e fotojornalistas juntaram-se na capital mexicana.

Ruben Espinosa, repórter da Revista Proceso, denunciou que estava a ser perseguido, fugindo do Estado de Veracruz e exilando-se voluntariamente na capital, segundo a revista.

Espinosa falou com a família, pela última vez, na sexta-feira.