Oito sapatos que pertenceram a prisioneiros do campo de concentração de Majdanek, na Polónia, durante a segunda guerra mundial foram roubados do museu.

Segundo a «Sky News», que cita uma porta-voz do memorial, um empregado do museu do campo apercebeu-se da falta dos sapatos quando fazia uma contagem de rotina este sábado. A polícia já lançou uma investigação.

«Um empregado do museu deu pela falta dos sapatos durante uma contagem de rotina este sábado. [Foi descoberto] um buraco numa rede metálica de um expositor que contém várias centenas de sapatos na caserna 54. Quando os contámos, descobrimos que faltavam oito», disse uma porta-voz do campo.

O museu tem um total de 280 mil sapatos que pertenceram aos prisioneiros do campo. 

«É nesta caserna que todos os sapatos estão à vista para que os visitantes compreendam a escala dos crimes dos nazis», continuou.

Estima-se que só em Majdanek tenham sido mortas cerca de 78 mil pessoas, cerca de 60 mil judeus.

Este é o segundo roubo relacionado com campos de concentração nazis este mês. No inicio de novembro também foi roubada a inscrição icónica «Arbeit Macht frei» (O trabalho liberta) do portão do campo de Dachau, na Alemanha.