O"crime do século" como foi designado pela imprensa francesa, de um roubo de milhões de dólares em ouro, em 1983, pode encontrar novos desenvolvimentos mais de 30 anos depois, graças ao Papéis do Panamá. 

De acordo com os documentos divulgados no domingo a propósito da fuga de informação de 11 milhões de documentos, analisados pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação a que a TVI pertence, uma empresa fictícia do Panamá pode ter escondido milhões de dólares do roubo do armazém Brink's-Mat, em 1983.

Um grupo de criminosos encapuzados roubou três toneladas de lingotes de ouro, no valor de cerca de 40 milhões de dólares, de um armazém Brink's-Mat no aeroporto de Heathrow, em novembro daquele ano, recorda a Lusa. 

A maior parte do saque foi derretido e nunca recuperado, apesar de algumas condenações relacionadas com o crime.

É mais uma das revelações deste gigantesco golpe financeiro, ao qual têm ligações 72 chefes de Estado, atuais e antigos, incluindo ditadores acusados de saquear os seus próprios países, primeiros-ministrosoutros nomes sonantes

Há, também, um empresário português implicado, que está igualmente a ser investigado no âmbito da operação Lava Jato, no Brasil. Mas não é o único cidadão português. Há outros e também instituições nacionais que serão revelados a seu tempo.