Nancy Crampton-Brophy, famosa autora de livros de suspense, foi detida nos Estados Unidos, acusada de matar o marido, o chef de cozinha Daniel C. Brophy.

A autora, de 68 anos, parecia ter habilidade para escrever sobre o homicídio de cônjuges, escreve o The Washington Post.

A romancista de Portland escreveu vários livros sobre relacionamentos, em que apontava os principais motivos e as várias armas que escolheria para uma personagem que matasse o marido num romance.

Por exemplo, em “The Wrong Cop” (“O Polícia Errado”), Nancy Crampton-Brophy escreveu sobre uma mulher que “passava todos os dias desde que estava casada a fantasiar sobre matar” o marido.

Em “The Wrong Husband” (“O Marido Errado”), uma mulher simulou a própria morte para tentar fugir de um marido agressor.

E no ensaio “How to Murder Your Husband” (“Como Assassinar o Seu Marido”), Crampton Brophy escreveu sobre como cometer o crime e escapar impune.

De acordo com a polícia, a escritora parece agora ter seguido na vida real alguns dos próprios conselhos. Daniel C. Brophy, de 63 anos, morreu há três meses, mas a investigação policial só esta semana levou à detenção da mulher.

As autoridades acreditam que Nancy Crampton-Brophy alvejou o marido no Instituto de Culinária do Oregon, onde ele trabalhava como chef.

A investigação começou em junho, quando as autoridades responderam a um alerta sobre uma pessoa baleada no Instituto de Culinária do Oregon", referiu a polícia num comunicado.

Quando chegaram ao local, os socorristas tentaram reanimar o chef, mas ele não resistiu aos ferimentos.

Nancy Crampton-Brophy chegou a lamentar a morte do marido, através de uma mensagem partilhada no Facebook.

Para os meus amigos e família, é com tristeza que informo que o meu marido e melhor amigo, chef Dan Brody foi morto esta manhã. Para quem é próximo e sente que merecia saber isso por um telefonema, vocês estão certos, mas agora estou a lutar para que tudo faça sentido”, escreveu.

A investigação policial apontou agora a própria romancista como culpada. Nancy Crampton-Brophy começa a ser julgada no dia 17 e responderá por homicídio e por uso ilegal de arma.