A China expressou, esta quinta-feira, o seu apoio à campanha antidroga lançada pelo Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, apesar das críticas feitas pelos Estados Unidos da América e União Europeia (UE), devido ao elevado número de mortos.

A China entende e apoia as políticas lançadas pelo novo Governo de Duterte, gostaríamos de trabalhar em conjunto nesse aspeto", destacou o porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros, Geng Shuang, em conferência de imprensa.

A campanha lançada por Duterte já causou 3.500 mortos, no que organizações de defesa dos Direitos Humanos dizem ser uma onda de execuções extrajudiciais e assassinatos.

Eleito em maio deste ano, Rodrigo Duterte declarou ‘guerra’ ao tráfico de drogas. Em agosto, anunciou um forte aumento para o orçamento nacional do próximo ano para financiar a sua guerra controversa contra o crime.

Organizações de direitos humanos exigiram uma tomada de posição por parte das Nações Unidas, organização que Duterte parece ter em muito pouca conta. O Presidente das Filipinas criticou ONU, afirmando que a organização era “estúpida” por se opor à guerra contra as drogas.