Um homem armado, que se barricou num centro de planeamento familiar no Colorado, Estados Unidos, nesta sexta-feira, foi detido com vida pelas autoridades, depois de ter morto três pessoas e ferido outras 11, cinco das quais polícias, confirmou o procurador local, citado pela agência Reuters.

A detenção do agressor, que as autoridades conseguiram convencer a entregar-se, surgiu numa altura em que as várias pessoas que se encontravam no edifício estavam a ser retiradas, informou a porta-voz da polícia local, Catherine Buckley. 

O agressor, um homem branco com uma espingarda de assalto, prosseguia a troca de disparos com os agentes, enquanto eram retiradas do local dezenas de pessoas.

Neste momento, as autoridades investigam se há mais pessoas no edifício e o tipo de "objetos" levados pelo atirador, havendo suspeitas de explosivos.
   
Segundo ainda a polícia local,  a situação no centro de Rocky Mountain foi sempre descrita como "instável".
   
Momentos antes, a presidente do centro de Colorado Springs, Vicki Cowart, escreveu na rede social Twitter estar “preocupada com a segurança dos clientes, dos funcionários e da polícia”.
 
O alerta foi dado pelo centro às 11:38 locais (18:38 em Portugal continental), mas ainda não é claro se o tiroteio teve início naquela instituição, pois à chegada ao Rocky Mountain os agentes depararam-se logo com um "tiroteio ativo", adiantou a porta-voz das autoridades.



São, também, para já, desconhecidos os motivos do atirador e se o seu objetivo era mesmo este centro, que disponibiliza vários serviços, desde a prática de abortos à saúde reprodutiva.