Rocco Morabito, o mafioso italiano que estava em fuga desde 1995, foi detido no Uruguai e tinha com ele passaportes portugueses com o nome de "Francisco Capeletto". Com o chefe da Máfia Calabresa, um dos fugitivos mais procurados nos últimos 20 anos, foi detida a mulher, que tem passaporte emitido em Portugal e cuja data de nascimento é de 16 de julho de 1993 em Angola.

Segundo o mandado de captura internacional, Morabito estava oficialmente em fuga desde 1995 e, caso regresse a Itália, será imediatamente detido para cumprir uma pena de 30 anos por tráfico de droga.

As autoridades italianas garantem que Morabito foi chefe do cartel Ndrangheta - uma das mais violentas famílias criminosas de Itália -, a máfia Calabresa, entre 1985 e 1993 e que entre os anos 80 e 90 fez dezenas de viagens entre Milão e América do Sul com dezenas de cocaína pura.

De acordo com o jornal El Pais de Montevideu, Rocco Morabito vivia há, pelo menos, 13 anos no Uruguai. Assim que foi detido, teve início o processo de certificação de identidade e extradição para Itália. Este processo tem um prazo de três meses para ser concluído.

As autoridades do Uruguai trabalharam durante seis meses na operação que permitiu deter o italiano. Graças a essa operação, a polícia conseguiu determinar que o brasileiro Francisco Capeletto era Rocco Morabitto, que viria a ser detido num hotel no centro de Montevideo. 

Foram ainda feitas buscas em dois locais aquando a detenção do mafioso. Num dos locais foi apreendida uma pistola Glok 9 mm, 13 telemóveis e muitos mais cartões telefónicos, 54 mil dólares americanos, mais de 2.500 pesos uruguaios, 12 cartões de crédito e débito, uma carteira de ações ao portador de cem mil dólares, um Renault Logan SAL 8819, e 150 fotografias tipo passe de Rocco Morabito para uso em cartões de identificação, sempre com roupas e tons de pele diferentes.

Num segundo local, foram apreendidos um Mercedes Benz 050 de 2015, passaportes portugueses com nome de Francisco Capeletto, várias joias e documentos.