Um protesto convocado pelos professores de escolas públicas do Rio de Janeiro terminou, esta noite, em confrontos entre manifestantes mascarados e a polícia, e com, pelo menos, 45 detidos.

A manifestação teve início de forma pacífica depois do sindicato dos professores de escolas públicas do Rio de Janeiro ter votado a favor da manutenção da greve que se prolonga há mais de dois meses.

O protesto foi convocado especialmente para assinalar o dia do professor, celebrado a 15 de outubro no Brasil, e reuniu cerca de 20 mil pessoas, segundo estimativas não oficiais. A marcha teve lugar no centro da cidade entre a Igreja Candelária e a Praça Cinelândia.

A manifestação de estudantes em São Paulo, que começou de forma pacífica na tarde de terça-feira, terminou com confrontos com a Polícia Militar que fez 56 detidos, revelou a imprensa local.

Os estudantes da Universidade de São Paulo reclamavam, ao lado de professores, maior intervenção na escolha do reitor da instituição, além de apoiarem a greve dos docentes do Rio de Janeiro.

Durante a noite, um grupo de manifestantes tentou fechar a Marginal Pinheiros, via de grande movimento, ato que degenerou em confrontos com as autoridades.