Brasil: repórter morre em tiroteio na favela

As imagens de Gelson Domingos da Silva antes de morrer no decorrer de uma operação de tráfico de droga

Por: Redação / CLC    |   7 de Novembro de 2011 às 10:44
Um repórter de imagem da TV Bandeirantes morreu na manhã deste domingo após ter sido baleado durante um tiroteio entre polícias militares e traficantes na Favela de Antares, em Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro.

Gelson Domingos da Silva, de 46 anos, fazia a cobertura jornalística da operação que os batalhões Bope realizaram na comunidade, quando foi atingido por um tiro no peito, informa a imprensa brasileira.

A vítima ainda foi levada para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Santa Cruz, mas não resistiu ao ferimento e já chegou morta ao local. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, o corpo do cinegrafista foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).

Em nota, a TV Bandeirantes informou que Gelson estava com colete à prova de bala, um modelo permitido pelas Forças Armadas, usado pelos profissionais da emissora em situações de risco. O cinegrafista, no entanto, foi atingido por um tiro de fuzil que atravessou o colete.

Segundo repórteres que estavam no local, antes de ser baleado Gelson avistou um homem correndo com uma arma na localidade conhecida como rua do Valão. O repórter procurou protecção junto a uma árvore, começou a gravar, mas foi atingido por um disparo.

O repórter de imagem deixa mulher, três filhos e dois netos.

A incursão na Favela de Antares teve início por volta das 6h30 e contou com a participação de 100 polícias. Segundo a Polícia Militar, o objectivo da acção era verificar informações recebidas pelas áreas de Inteligência do Bope e de que líderes do tráfico fortemente armados se reuniam no local. Quatro suspeitos foram mortos e outros oito foram presos, entre eles, o «gerente» do tráfico na região, Renato José Soares, conhecido como «BBC», e seu braço-direito, Leandro Ferreira de Araújo, vulgo «China».

O repórter Ernani Alves, da TV Bandeirantes, acompanhava o cinegrafista Gelson Domingos da Silva. Segundo Alves, a equipa soube da operação da Polícia Militar por volta de 5h. «Partimos imediatamente em alta velocidade para a Avenida Brasil e conseguimos encontrar o comboio na entrada para a zona oeste. Fomos a primeira equipe a entrar na Favela de Antares com os batalhões de Operações Policiais Especiais (Bope) e de Choque».

«Foi muito rápido, ele foi atingido pelos disparos e caiu imediatamente. Não deu nem para tirá-lo da viela. Homens do Bope começaram a atirar contra o grupo. Fiquei no meio do fogo cruzado e deitei-me no chão. O Gelson em nenhum momento parou de filmar e filmou quem o matou», relata o repórter.

«Hoje é o dia mais triste da minha vida porque saí com um amigo para trabalhar e não retorno para a redacção com ele».
Partilhar
EM BAIXO: Tiros Brasil
Tiros Brasil
COMENTÁRIOS

PUB
Défice da Segurança Social já é duas vezes maior do que devia

Só até agosto, saldo negativo foi de 829 milhões de euros. Meta para todo o ano de 2014 era de 495 milhões. Relatório da UTAO indica, também, que pensionistas já deram 455 milhões ao Estado com contribuição extraordinária de solidariedade. Unidade técnica de apoio ao Parlamento critica, ainda, uso dos impostos para pagar despesa pública que não estava prevista