Médicos da América Latina, Portugal e Espanha, que estão reunidos em Coimbra até sexta-feira, mostraram-se esta quinta-feira contra uma eventual suspensão dos Jogos Olímpicos do Brasil, apesar da existência do vírus Zika.

Estes médicos, que compõem o Fórum das Entidades Médicas (FIEM), constituído pela Confederação Médica Latino Americana e do Caribe, a Ordem dos Médicos de Portugal e o Conselho Geral de Colégios Médicos de Espanha, disseram concordar com a Organização Pan-Americana da Saúde e com a Organização Mundial da Saúde ao considerarem que a suspensão ou o adiamento dos jogos não deve ser recomendado.

Acreditamos que a suspensão dos Jogos [Olímpicos] significaria uma mensagem desoladora para toda a população residente, não resolveria a situação de alerta, causaria enormes prejuízos económicos para a região e não impediria a propagação do vírus pelos países onde já está instalado", lê-se numa nota hoje enviada à agência Lusa.

Aquele órgão reconhece ainda que os atletas, permanecendo na vila olímpica, estarão mais seguros do que a população em geral, que vive em áreas de infestação do mosquito.

A infeção pelo vírus pode ser prevenida evitando as viagens de mulheres grávidas e mantendo abstinência ou praticando sexo protegido, durante o período de pelo menos quatro semanas, se o parceiro viajar de áreas de risco, alerta.

No documento, o FIEM incentiva ainda as organizações não-governamentais e filantrópicas de toda a comunidade internacional, as organizações oficiais e também a população mundial, a mobilizar recursos "para controlar a praga de mosquitos" que provocam doenças como a do vírus do Zika, dengue, chikungunya e febre-amarela.

"Há uma possibilidade real de que a intervenção decisiva das autoridades locais e regionais, com a ajuda de outros países e organizações, ainda pode controlar de forma eficaz o alerta Zika nas cidades de realização dos Jogos [Olímpicos]", admite o FIEM.

A doença por vírus Zika, causada por um flavivírus, é conhecida desde 1947 e transmitida por mosquitos Aedes, segundo a fonte.

O Fórum das Entidades Médicas, que está em Coimbra para a IX Reunião Ibero-americana, considera que os visitantes devem "observar cuidadosamente" as recomendações das autoridades.

"Os turistas e viajantes profissionais que se desloquem para os Jogos [Olímpicos] devem observar cuidadosamente as recomendações das autoridades de saúde, medidas de proteção individual, incluindo o uso de roupas claras, camisolas de mangas compridas e utilizando repelentes de pele adequado durante o dia".

Esta posição conjunta aqui expressa deve ser reavaliada e qualquer mudança inesperada na evolução dos acontecimentos será tida em conta.