Era um dos últimos quatro rinocerontes brancos do norte do mundo. Nola, uma fêmea, estava há 26 anos no jardim zoológico de San Diego, nos Estados Unidos. Foi abatida este domingo, depois de o seu estado de saúde se ter deteriorado muito nos últimos dias.

Nola tinha 44 anos e estava no parque de San Diego desde 1989. Há muito que o seu estado de saúde preocupava os veterinários. O animal tinha artitre e estava a ser tratado por causa de uma grave infeção bacteriana. 

A 13 de novembro teve mesmo de ser submetida a uma cirurgia. Mas não melhorou, pelo contrário. O seu apetite diminui e Nola foi-se tornando apática. 

Nas últimas 24 horas, a sua condição agravou-se ainda mais. Os veterinários do parque decidiram abater o animal no domingo, como explica o zoo em comunicado. No texto, referem ainda como Nola era um animal "icónico" a nível mundial.

“Nola era um animal icónico, não só no zoo de San Diego, mas mundialmente.”


Com a morte de Nola, restam apenas três rinocerontes brancos do norte no mundo. Animais que vivem numa reserva protegida do Quénia.

Esta subespécie caminha a passo acelerado para o ponto de extinção. A caça furtiva sempre foi o maior inimigo do rinoceronte branco do norte. Os seus chifres, por exemplo, são muito procurados em países asiáticos, onde a população acredita que têm um poder medicinal.