Os Estados Unidos acusaram os países membros da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) de «trair» os princípios democráticos ao apoiarem o regime cubano durante a 2ª cimeira daquele organismo, que teve lugar em Havana, Cuba.

«Estamos dececionados porque a CELAC, na sua declaração final, traiu a dedicação declarada da região aos princípios democráticos, ao apoiar o sistema unipartidário em Cuba», disse, sob a forma de anonimato, um porta-voz do Departamento de Estado, citado pela agência AFP.

Segundo a AFP, para os Estados Unidos a declaração foi «particularmente inexplicável» por tratar-se de uma organização que «apoia a democracia e os direitos humanos», que «decidiu aceitar sem questionar as ações repressivas do país anfitrião para impedir os seus cidadãos de expressar pacificamente as suas aspirações democráticas».