O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, afirmou numa entrevista à Deutsche Welle que o novo acordo para o terceiro resgate à Grécia supõe uma confirmação da postura defendida pela Alemanha.

Segundo Schäuble, o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, acabou por reconhecer que se a Grécia quer permanecer no euro terá que se esforçar.

"É o que tenho dito há vários anos. A Grécia só pode continuar como membro da eurozona se realizar esforços extraordinários", disse.


O parlamento alemão vai votar na quarta-feira o terceiro plano de ajuda internacional à Grécia, já aprovado pelos ministros das Finanças da zona euro e pelo parlamento grego, disse no sábado o presidente da câmara baixa do parlamento, Norbert Lammert.

Os 631 representantes eleitos do Bundestag, atualmente de férias, vão ser convocados para outra sessão especial, a segunda depois de a 17 de julho, terem dado o seu acordo de princípio de um terceiro pacote de ajuda.

Nas fileiras do partido conservador da chanceler Angela Merkel, o descontentamento aumentou nas últimas semanas e alguns membros estão relutantes em conceder mais ajuda financeira à Grécia no valor de 86 mil milhões de euros, apesar das condições drásticas impostas pelos países europeus.