Cerca de 30 pessoas foram assassinadas num massacre na zona oriental da República Democrática do Congo, anunciaram este domingo as forças armadas locais.

Em declarações à Agência France Press (AFP), o porta-voz das Forças Armadas, Mak Azuray, disse que se suspeita que rebeldes das Forças Democráticas Aliadas (ADF, a sigla em inglês), um grupo islâmico armado de origem ugandesa que se opõe ao governo, terá morto 30 pessoas na cidade de Beni durante a noite.

“Nós apenas encontrámos os corpos”, disse Mak Azuray.

Os corpos das vítimas foram localizados, segundo Azuray informou à AFP, no bairro de Rwangoma, em Beni. O porta-voz das Forças Armadas disse também que os rebeldes se fizeram passar por militares para "chegarem e massacrarem a população" como vingança pelas operações militares na zona.

Gilbert Kambale, um responsável local, disse à AFP que 35 corpos deram entrada na morgue do hospital de Beni.

Beni situa-se na província de Nort-Kivu, que tem sido alvo de ataques constantes, desde outubro de 2014, que o Governo e as Nações Unidas atribuem à ADF, onde já morreram mais de 600 cidadãos.