O conflito na República Centro-Africana corre o risco de ser o palco de mais um genocídio. Só desde quinta-feira pelo menos oito pessoas, incluindo sete civis, morreram em Batangafo, no noroeste da República Centro-Africana, quando tentavam fugir da morte, procurando refúgio num hospital. 

Os civis que procuravam refúgio no hospital foram atingidos, incluindo uma rapariga de 15 anos, que teve morte imediata”

 No ataque, morreram também uma criança de dois anos e outras duas pessoas. Outras três vítimas morreram devido a ferimentos, já este fim-de-semana, indicaram os Médicos Sem Fronteiras, num balanço ainda provisório.

Esta é a única organização na região, onde perto de 30 mil pessoas carecem de ajuda humanitária. 

Ainda ontem a TVI emitiu uma grande reportagem sobre o conflito na República Centro-Africana. Os militares portugueses que regressaram há dias do país, confrontado há 4 anos com uma guerra civil, étnica e cada vez mais religiosa.

Os repórteres Rui Araújo e Rui Pereira acompanharam, durante semanas, em Bangui, a capital e também no mato, o quotidiano da primeira força nacional ao serviço das Nações Unidas: 160 militares, incluindo 111 comandos.

Em "A Guerra Esquecida", podemos ver os portugueses naquele teatro de operações e, sobretudo, o retrato de um conflito que, segundo as Nações Unidas, corre o risco de ser o  palco de mais um genocídio.