O número de jornalistas assassinados registou uma redução este ano, mas aumentou o número de profissionais sequestrados, revelou esta quarta-feira a organização Repórteres Sem Fronteiras no seu balanço anual.

A organização defensora da liberdade de imprensa registou a morte de 71 jornalistas este ano face a 88 em 2012, a 67 em 2011 e a 58 em 2010.

Já o número de sequestros e agressões de jornalistas subiu, o que, segundo a Repórteres sem Fronteiras, coincide com os protestos no Egito, Turquia, Brasil e mais recentemente na Ucrânia.