A Austrália disse hoje ter repatriado um grupo de chineses que chegou por via marítima a território australiano, mas não clarificou, no entanto, se se tratavam de requerentes de asilo.

“Temos boas estratégias de segurança de fronteiras e detetámos estas pessoas”, afirmou a ministra dos Negócios Estrangeiros australiana, Julie Bishop, ao canal 9.

A 20 de agosto, seis cidadãos chineses, a par com um presumível traficante de pessoas da Papua Nova Guiné, todos do sexo masculino, desembarcaram na ilha Saibai, no estreito de Torres (nordeste australiano), após terem sido intercetados pelas autoridades, informou hoje o jornal Sydney Morning Herald.

Segundo o jornal, um dos chineses e o homem da Papua foram detidos e acusados pela justiça australiana de tráfico de seres humanos, enquanto os restantes cinco foram deportados para a China.

"Entendo que estas pessoas estão a ser julgadas", afirmou a chefe da diplomacia australiana, numa referência a este caso.

A chegada deste barco contradiz as declarações do ministro de Imigração, Peter Dutton, que garantiu, na segunda-feira, que nenhum navio com imigrantes "sem documentos" tocou no país nos últimos mil dias.