Finalmente, a paz. O Presidente moçambicano e o líder da Renamo assinaram esta sexta-feira um acordo de paz para acabar com meses de violência entre o exército e os ex-guerrilheiros.

O acordo entre Armando Guebuza e Afonso Dhlakama foi assinado na presença de dezenas de diplomatas e responsáveis governamentais na sede da Presidência moçambicana, em Maputo, avança a Lusa.

Agora, está aberta a participação de Afonso Dhlakama na campanha eleitoral já em curso para as eleições gerais (presidenciais, legislativas e para as assembleias provinciais) de 15 de outubro.

Este é mais um passo para a normalização da situação política em Moçambique, posta em causa por meses de confrontos entre o braço armado da Renamo e as Forças de Defesa e Segurança.

Depois de cinco anos ausente da capital, o líder da Resistência Nacional de Moçambique - é este o significado de Renamo - voltou ontem a Maputo, garantindo que ia cumprir o acordo de cessar-fogo celebrado a 24 de agosto. Agora, para além da palavra, assinou por baixo.