Ren Zhengfei, fundador e presidente executivo da chinesa Huawei, terceiro fabricante mundial de 'smartphones', impôs a si próprio uma multa de um milhão de yuan (130 mil euros) por "má gestão".

De acordo com um documento interno da Huawei, difundido na quinta-feira à noite pelo portal de notícias thepaper.cn, a administração deve assumir responsabilidades pela "liderança ineficaz".

O mesmo documento apontou que algumas unidades da empresa revelaram problemas de qualidade "graves" e "fraudes".

Os três vice-presidentes da Huawei foram também multados cada um em 500.000 yuan (63.000 euros).

O mesmo portal escreveu que a chefia intermédia e superior da empresa chinesa é frequentemente despromovida por erros, mas que podem voltar a assumir os cargos se apresentarem bons resultados.

A constante promoção e despromoção de quadros é considerada parte do modelo de gestão da Huawei, o terceiro fabricante mundial de 'smartphones', atrás da Samsung e Apple.

A Huawei tem escritórios em Lisboa, onde conta também com um centro de inovação e experimentação.

Segundo a AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), desde 2004, a firma chinesa investiu 40 milhões de euros em Portugal.