O vírus Zika foi encontrado foi encontrado no sémen de um britânico, dois meses depois deste ter sido infetado, noticia a Reuters que cita fonte oficial da Saúde britânica.


A descoberta sugere que o vírus pode permanecer no sémen muito tempo depois de os sintomas terem desaparecido.
Investigadores da Saúde Pública de Inglaterra revelam que o homem, de 68 anos, foi infetado pelo vírus, em 2014, na Polinésia Francesa. O homem foi sujeito a análises depois de ter febre e baixos níveis de Zika foram detetados no seu sistema.


O doente foi sujeito a novos testes 27 e 62 dias depois e os mesmos voltaram a ser detetados.


As descobertas foram divulgadas numa carta das Doenças Infeciosas Urgentes, publicada pelos Centros de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA.
 

A Organização Mundial de Saúde informou esta sexta-feira que a vacina contra o vírus Zika “demorará, pelo menos, 18 meses até poder ser administrada em larga escala”.