O príncipe Harry vai abandonar o Exército, anunciou o Palácio de Kensington.

A retirada está prevista para junho, «uma decisão difícil», segundo fez saber o neto da Rainha de Inglaterra. Num balanço de uma década nas Forças Armadas, Harry destaca as missões e os desafios que enfrentou e «as pessoas fantásticas que conheceu», como cita a Sky.

«As experiências por que passei vão estar sempre presentes na minha vida», disse o monarca. Entre essas experiências contam-se as duas comissões de serviço ao Afeganistão.


Antes de terminar a sua carreira militar, Harry de Inglaterra vai passar algumas semanas em Sydney, Darwin e Perth, entre abril e maio, num programa conjunto entre as forças britânicas e as australianas.

Mas, ao despir a farda militar, tal não significa que Harry vá tirar umas férias. O príncipe vai dedicar-se às obrigações da realeza doravante e a missões de caridade. Ainda em maio representará a monarquia numa visita oficial à Nova Zelândia.

Harry também vai dedicar-se ao voluntariado em África.

O anúncio de novos projetos surge já com alguma nostalgia à mistura:


«Inevitavelmente, as coisas boas chegam ao fim».