A polícia britânica acredita que o autor do massacre de Manchester pode ter tido cúmplices para concretizar o atentado que matou 22 pessoas.

O canal Sky News, que cita o líder da divisão de contraterrorismo para o noroeste de Inglaterra, avança que detenções podem ser feitas em breve.

"Acreditamos que outras pessoas podem ter estado envolvidas [no atentado]. Não deverá ser uma rede grande, mas acreditamos que vão acontecer detenções no futuro", afirmou Russ Jackson.

O atentado num concerto da cantora Ariana Grande provocou 22 mortos a 22 de maio. Pouco depois do ataque, a polícia informou que tinha reunido membros da rede de Abedi. No entanto, a polícia de Manchester indicou no domingo que todas as 22 pessoas detidas por suspeitas de terrorismo foram libertadas sem acusação.