O ministro da Educação britânico, Michael Gove, acusou hoje os diretores muçulmanos de cinco escolas na cidade de Birmingham de promoverem uma «campanha organizada» para impor aos seus alunos uma ideologia baseada na religião.

Os conflitos entre os responsáveis muçulmanos das escolas e funcionários superiores não muçulmanos implicaram uma «cultura de medo e intimidação», com alguns professores forçados a abandonar o seu trabalho, de acordo com um relatório ministerial.

A controvérsia sobre a educação em Birmingham, a segunda cidade britânica e com considerável população muçulmana, ocorre a um ano das eleições legislativas no Reino Unido, agendadas para maio de 2015.