Uma sondagem encomendada pelo jornal britânico «The Sunday Times» revelou uma tendência inédita no Reino Unido. Pela primeira vez, os defensores da independência da Escócia têm vantagem na opinião pública.

O estudo divulgado este domingo, o «sim» pode vir a a conseguir 51% dos votos no referendo pela independência do próximo dia 18, contra os 49% do «não», confirmando uma viragem na votação dos escoceses.

Há menos de um mês a campanha anti-independência detinha uma vantagem de 22 pontos nas sondagens, mas os primeiros debates televisivos entre os defensores dos dois lados favoreceram os independentistas.

Segundo o «The Independent», o Governo britânico já reagiu, com o ministro das finanças britânico, George Osborne, a prometer mais poderes para a Escócia, se os eleitores votarem «não» na próxima semana. As novas regalias garantem mais autonomia para os escoceses, incluindo mais controlo sobre impostos, sobre a segurança social e gastos do Governo.

No entanto, Osbourne deixou igualmente o aviso, que caso o sim vença, não o Reino Unido não vai partilhar a sua moeda, a libra.