A empresa fornecedora de roupas íntimas da família real inglesa foi despedida, depois da responsável da marca ter lançado um livro onde conta detalhes sobre as visitas ao Palácio de Buckingham, que fazia devido às sessões de experimentação de roupa interior da Rainha. 

A marca de lingerie Rigby & Peller - que há quase 60 anos fornecia sutiãs, cuecas, cintas e ligas à Rainha de Inglaterra e aos seus familiares - perdeu a autorização real de produzir lingerie para a monarca, depois de uma donas da empresa, June Kenton, ter publicado, em março do ano passado, um livro autobiográfico onde relata a sua experiência com a família real. 

No entanto, e de acordo com a BBC, Kenton afirmou, em sua defesa, que não revelou nenhum segredo sobre os gostos e hábitos de Isabel II, apenas falou sobre como eram as visitas ao palácio de Buckingham, declarações que, para a família real, foram suficientes para acabar com o selo real. 

 

Não escrevi nada de indiscreto, apenas coisas que fizeram parte da minha vida. É muito triste o que aconteceu", contou a ex-proprietária da empresa, lamentando o sucedido. 

 

Kenton referiu, ainda, que já sabia que ia perder o direito do fornecer a lingerie, depois da família real lhe ter dito que não tinha gostado da publicação do livro, há seis meses atrás.