A ministra do Interior do Reino Unido, Theresa May, anunciou a sua candidatura à sucessão do primeiro-ministro, David Cameron, prometendo unir os britânicos, numa carta publicada esta quinta-feira pelo Times.

“Após o referendo da semana passada, o nosso país precisa de uma liderança forte para nos orientar neste período de incerteza económica e política e para negociar a saída da União Europeia”, escreveu Theresa May. 

O líder conservador anunciou a sua demissão, com efeitos em outubro, depois de os eleitores britânicos terem decidido que o Reino Unido deve sair da UE, depois de o Brexit no referendo da semana passada.

Tal como David Cameron, Theresa May apoio a permanência no bloco, mas teve uma postura discreta e um papel conciliador na campanha, tendo sido apontada como uma candidata consensual, embora só agora se tenha pronunciado.

Com os olhos postos no futuro, Theresa May promete uma reforma social e uma Grâ-bretanha que "funcione para todos". E lançou fartas ao hipotético rival na corrida à liderança dos conservadores. Theresa May mostrou-se crítica da excentricidade de Boris Johnson, antigo mayor de Londres e que fez campanha pela saída do Reino Unido da União Europeia. Mas, "um governo não é um jogo. É um assunto sério, com consequências na vida das pessoas", disse. 

Theresa May, de 59 anos, está no governo desde 2010. Licenciada em Oxford, fez carreira no Banco de Inglaterra. Pelo seu estilo é comparada, muitas vezes, a Margaret Thatcher.